Casa da Júlia

Minha casa, meu cantinho.

domingo, 29 de junho de 2008

...Play Centerrrrrr...^^

Aiai...

A vida é tão única...nunca vi um momento se repetir fielmente igual à outro momento do passado.

Cada momento tem suas particularidades em si. Tem seu pedacinho especial.

Não sei como, mas aos poucos to me conformando em morar aqui... É um bom sinal porque não queria sempre viver infeliz. Antes conformada do que infeliz.

“De repente” me deu uma vontade de ir ao Playcenter, e conhecer. Quem sabe, eu vá. Espero que dê certo.

É estranho mas, aos poucos vem surgindo uma alegria imensa dentro de mim....sei lá deve ser coisa de Júlia mesmo.


*By Juh*=D
Leia Mais

sábado, 28 de junho de 2008

FELICIDADE REALISTA



De norte a sul, de leste a oeste, todo mundo quer ser feliz. Não é tarefa das mais fáceis. A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.

Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica, a bolsa Louis Vutton e uma temporada num spa cinco estrelas. E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito.

É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Por que só podemos ser felizes formando um par, e não como ímpares? Ter um parceiro constante não é sinônimo de felicidade, a não ser que seja a felicidade de estar correspondendo às expectativas da sociedade, mas isso é outro assunto. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com três parceiros, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.

Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.

Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar. É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um game onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo.





By*Martha Medeiros
Leia Mais

sábado, 21 de junho de 2008

"...Posso dizer que a Vontade é essencial!!
......Sem a vontade num existiria a REaLiZaÇÃoO."

=P
Leia Mais

Um poko de Revolta

17/06/08

Revolta...Raiva e fúria!
Por que tem momentos que dá vontade de “explodir”?
Eu como uma mulher, o sexo frágil, infelizmente grita mais alto dentro de mim e faz todo esse ódio momentâneo virar tristeza e de repente vem aquela vontade... Devagarzinho... de chorar.


E começo a me perguntar, como posso ser tão frágil a ponto de quase começar a chorar num momento que deveria ser de raiva?



Não gosto dessa fragilidade toda, algumas vezes isso pode me atrapalhar, porque nos momentos em que eu precisar ser forte vem a minha parte frágil apenas para ajudar a derrubar-me.

Mas, chorar ajuda?
Concerteza deve ajudar a amenizar a raiva que a gente sente.
...Alguma utilidade tem que ter o choro.

Utilidade que encontrei para o meu blog é essa, escrever o que vier à cabeça, coisas inúteis para uns, mas parte de minha vida e importantes para mim.


Esse é o meu cantinho de refúgio, porque não quero sair pela rua gritando minhas mágoas, prefiro apenas escrever.



Sem mais desabafo por hoje.



*by Juh
Leia Mais

TédiO?

Franca, 15 de Junho de 2008. (começo assim porque ainda não acredito que moro em Franca, e preciso me acostumar.).

Aos poucos vou me adaptando aqui em casa, tenho meu pc sem internet por enquanto, então, apenas escrevo para passar o tempo e postar no meu blog daqui algum tempo...

...Entediada...É assim que estou sem trabalhar. Nunca, pensei que diria isso, mas quero trabalhar porque ficar em casa sem fazer nada não dá. É bom, lá de vez em quando ficar sem fazer nada, mas direto, enjoa.

Bem que falam que o que é demais, estraga.

Mas até que hoje não foi tão entediante igual aos outros dias.

Tive um bom lazer. Uma trilha de mais ou menos 1 hora até uma cachoeira linda, localizada literalmente num buraco.

Tem coisas que a gente faz por impulso, como, por exemplo, arriscar-se a fazer uma trilha dessas sem saber se iria agüentar. Cheguei em casa quase morta, toda ralada e suja daquela terra vermelha.

Apesar de todo esse sofrimento para chegar até a cachoeira, posso dizer que foi uma experiência interessante.

Bem melhor que ficar em casa vendo tv esperando que o tempo passe mais rápido.

*By Juh

Leia Mais

...DiAs DoS nAmOrAdOs!

12 de Junho de 2008

É aquele dia especial em que se passa ao lado da pessoa que se quer bem.

Desejo que todos os casais passem esse dia inteiro juntinhos, mesmo que seja fazendo nada, mas que passem juntos.

Que coisa boa é ter pra quem ligar nesse dia, ter alguém pra dar um presente, um abraço, um beijo.

E se, não der para se encontrar nesse dia que a vontade de ver seja maior que o impedimento, porque o mais importante é pensar em alguém no dia dos namorados.

By Juh...
Leia Mais

BLOG...Pedacinhos do tempo... Momentos... Histórias... Ou peças que montam a minha vida..numa simples página de internet.

Leia Mais

Textinho sem motivo aparente

Uma mistura meio estranha é tristeza com saudade, sentida juntas.

Com esses dois sentimentos em ação fica complicado pensar. Minha cabeça vai a mil em segundos, às vezes é melhor, pelo menos tentar não pensar.

O tempo não passa, por isso resolvi escrever para passar o tempo.

Coloquei uma música tipo fossa de fundo inspirador, o que me ajuda ficar mais deprê.

Momentos ruins demoram tanto para passar...queria que momentos ruins fossem “the flash” então não sentiríamos dor continuamente mas apenas relances de dor. Que ótimo seria, mas acabaria sendo bem sem graça a nossa vida também de qualquer jeito porque eu acharia outro pretexto rapidinho para reclamar.

Afinal, o que é a vida sem um pouco dor, sofrimento, alegria, paixão, amor, tristeza, etc.

Tudo isso é a vida!

Franca, 09 de Junho de 2008

by Juh

Leia Mais

...Meu Costume...


O começo é difícil, coisas novas às vezes nos assustam... A adaptação é algo lento e delicado.

É tão estranho mudar.

Mas agora já ta feito, mudei de cidade, de casa, larguei os amigos e conhecidos, larguei o “emprego”, larguei o curso e até os amigos do curso eu larguei =/...Digo que larguei, mas não tive outra escolha...Mal sei me virar...Não estou pronta para chegar a uma decisão e bater o pé e dizer que poderia ficar.

Mudei, estava tão acostumada com a minha cidade “Sorocaba”. Mas agora estou morando em outra completamente diferente. Não é uma cidade pequena, mas o povo daqui aparenta aqueles que moram em cidadezinhas minúsculas.

O sotaque é horrível, será que isso pega?Será que irei pegar esse sotaquezinho do interiorrrrrr?¬¬

Tenho até vizinhos daqueles que ficam sentados em frente de suas casa bisbilhotando a vida alheia. Não gosto desse tipo de gente. Gostaria que cada um ficasse na sua, sem tentar vigiar a vidas dos outros. Além disso, são vizinhos quase idosos, chatos, e enjoados e pior ainda fofoqueiros.

Minha casa também é estranha, porque tem momentos em que ela treme literalmente as paredes e as janelas. Não sei se é estrutura fraca ou se ela está a ponto de desabar, mas só sei que ela se meche! Espero que isso não seja grave porque não vai ser muito agradável eu estar dormindo tranqüilamente e de repente a casa começar a cair, além de ser perturbador é perigoso isso.

Não vejo a hora de arranjar um emprego para não ficar aqui em casa. Não me conformo com essa vida de desempregada, é essencial pra minha felicidade que eu trabalhe!

O lado bom é ainda ter o meu computador no meu cantinho para esquecer o lugar que vim parar e poder desabafar um pouco.

Digo assim apenas porque ainda não me acostumei a viver aqui, porque não gostei do sotaque, porque não gostei dos meus vizinhos, e porque o começo pra mim sempre é difícil e um pouco complicado. Ah!Digo assim também porque adoro um pouco de drama!

Franca, 7 de Junho de 2008.

=/

.

Julia Lemos e Silva. Tecnologia do Blogger.

Categorias

A Dona da Casa

Minha foto
Júlia Lemos e Silva
Formada em Técnico de Edificações, cursando Engenharia Ambiental, sou de Cristo, gosto de decoração, reutilização, reciclagem, artesanatos e sustentabilidade ambiental posto neste blog de tudo um pouco. Coisas minhas, coisas achadas na rede, considero aqui minha casa, o meu canto.
Visualizar meu perfil completo

Arquivo

Popular Posts

© Casa da Júlia, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena